ABI - Liberdade de imprensa
OPINIÕES

‘A Bahia não pode se contentar em não ser líder do Nordeste’, diz ACM Neto

Neto realiza neste final de semana mais uma etapa do movimento “Pela Bahia”, desta vez no Sudoeste do estado

11/06/2021 17h08
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

O presidente nacional do Democratas, ACM Neto, afirmou nesta sexta-feira (11/06) que a Bahia não pode se contentar com nada menos do que ser líder de toda a região Nordeste, durante coletiva de imprensa na cidade de Guanambi. Neto realiza neste final de semana mais uma etapa do movimento “Pela Bahia”, desta vez no Sudoeste do estado, onde visita Guanambi e Caetité, além da Bamin.

O ex-prefeito de Salvador foi recebido pelo prefeito de Guanambi, Nilo Coelho (Democratas), ex-governador do estado, e pelo deputado federal Arthur Maia (Democratas).

No início da tarde desta sexta, Neto visitou também, em Caetité, a Casa Anísio Teixeira, espaço que guarda o acervo de um dos mais importantes educadores brasileiros e que foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC).

Como desafios para a região, ele citou questões relacionadas à infraestrutura e a melhores condições hídricas para que a produção possa ser ampliada. Citou como importante a recente concessão do trecho entre Caetité e Ilhéus da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) e o projeto Iuiu, iniciativa de irrigação do Vale do Iuiú.

“É preciso ter um plano de desenvolvimento econômico voltado para cada região, compreendendo exatamente o diferencial que cada uma tem para oferecer. Aqui por exemplo nós temos hoje alguns desafios que, na minha opinião, passam também pelo poder local, pelo poder federal, mas muito pela presença e pela atuação do poder estadual. Desafios de infraestrutura, desafios que permitam melhores condições hídricas para expansão da produção. Nós vamos por exemplo discutir a questão do Projeto Iuiu, que é uma coisa que precisa começar a sair do papel”, afirmou.

Sobre a FIOL, afirmou que é preciso esforço político por parte do estado para “definitivamente acontecer”.

“É preciso que ela seja toda feita essa integração ferroviária do Oeste com o Leste, incluindo é claro o projeto do Porto Sul em Ilhéus. Isso vai permitir uma dinamização da mineração em toda a região. A gente sabe que a produção da Bamin pode aumentar mais de 20 vezes do que é feito hoje. Isso tudo significará movimentação econômica, geração de emprego e distribuição de renda”, frisou.

ACM Neto afirmou ainda que a Bahia é ainda “muito desigual do ponto de vista social”. Ele ponderou que o estado tem muitos problemas no campo da pobreza e, para ele, a superação de tudo isso passa por um plano, uma estratégia de desenvolvimento econômico.

“A Bahia não pode se contentar com nada menos do que ser líder de toda a região Nordeste. Mas isso não acontece por acaso, isso não vai acontecer se não houver planejamento e, acima de tudo, uma estratégia bem montada”, pontuou.

O presidente do DEM citou também o potencial de crescimento da geração de energia eólica da região. “Nós temos hoje aqui parques eólicos com potencial de expansão muito grande, que gera empregos na implantação, que gera renda depois para os proprietários de terra. Esse parque tem que ser estimulado, incentivado, inclusive porque esse potencial de expansão enorme se trata de energia limpa, de energia que dialoga com o futuro”, disse.

Ele também alertou que não está em pré-campanha. O movimento ‘Pela Bahia’, disse, “tem como objetivo principal gerar essa aproximação e sobretudo trazer uma mensagem da nossa perspectiva futura para a Bahia”. O ‘Pela Bahia’ foi iniciado no mês passado na Chapada Diamantina e está agora, no Sudoeste, em sua segunda edição. O objetivo é ir a todas as regiões do estado até maio de 2022.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.