ABI - Liberdade de imprensa
CORONAVÍRUS

Bahia registra 2.230 novos casos de Covid-19 e mais 64 óbitos pela doença

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.404.531 casos descartados e 232.013 em investigação.

14/07/2021 18h44Atualizado há 2 semanas
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.230 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,2%) e 2.387 recuperados (+0,2%). O boletim epidemiológico desta quarta-feira (14/07) também registra 64 óbitos. Apesar de as mortes terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram realizados hoje. Dos 1.164.162 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.128.354 já são considerados recuperados, 10.834 encontram-se ativos e 24.974 tiveram óbito confirmado.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.404.531 casos descartados e 232.013 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira. Na Bahia, 51.378 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 24.974, representando uma letalidade de 2,15%. Dentre os óbitos, 55,76% ocorreram no sexo masculino e 44,24% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,95% corresponderam a parda, seguidos por branca com 22,46%, preta com 15,31%, amarela com 0,41%, indígena com 0,14% e não há informação em 6,73% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 60,12%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (72,69%).

A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.