ABI - Liberdade de imprensa
DESÂNIMO

Falar em 3ª dose da vacina contra covid traz insegurança, diz ministro

Marcelo Queiroga cobra que primeira dose do imunizante seja aplicada em 100% da população antes discussão.

19/07/2021 12h06Atualizado há 1 semana
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticou nesta segunda-feira (19/07) os comentários a respeito da possível aplicação de uma terceira dose da vacina contra a covis-19. “Isso só leva a mais insegurança à população”, afirmou.

"Nós não conseguimos aplicar ainda a primeira dose da vacina em 100% da população. Qual é a evidência científica disponível para que possamos começar a falar em uma terceira dose?”, questionou Queiroga.

A fala do ministro surge após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizar estudos clínicos da aplicação da terceira dose da vacina AstraZeneca. O imunizante será aplicado em um período entre 11 e 13 meses após a primeira dose e busca avaliar a segurança, eficácia e imunogenicidade do reforço. Os voluntários serão os mesmos do primeiro ensaio feito para a aprovação da vacina.

Queiroga cobra a necessidade do desenvolvimento de evidências científicas para analisar a possibilidade e eficácia da aplicação de um reforço para a imunização. "Tenho feito um apelo a todos os gestores para que nós sigamos o Programa Nacional de Imunização", pediu.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.