ABI - Liberdade de imprensa
MEIO AMBIENTE

Amazônia registra queimadas acima da média histórica de agosto

Este é o terceiro maior índice para o período desde 2010, perdendo apenas para 2019 (30.900) e 2020 (29.307).

03/09/2021 18h38Atualizado há 3 semanas
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Amazônia registrou 28.060 focos de incêndios de 1 a 31 de agosto, segundo dados do Programa Queimadas, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O número está acima da média histórica, que é de 26.663 focos para o mês.

 Este é o terceiro maior índice para o período desde 2010, perdendo apenas para 2019 (30.900) e 2020 (29.307)

No ranking de estados, o Amazonas está em primeiro lugar, com 8.588 focos, o que representa 30,6% do total. O número também é recorde histórico para o mês no estado

Amazonas é seguido pelo Pará, com 7.853 (28%), Rondônia, com 4.319 focos (15%), Mato Grosso, com 3.765 focos (13%), Acre, com 3.185 (11%), Maranhão, com 267 focos (1%), Tocantins, com 45 focos (0,2%), Amapá, 19 focos (0,1%) e Roraima, também com 19 focos (0,1%)

A alta no número de focos acontece em meio à proibição do uso do fogo, decretada pelo governo federal em julho. Pelo documento, nenhuma queima está autorizada até o final de outubro na Amazônia ou Pantanal

Dados do governo mostraram que o número de focos de incêndio na Floresta Amazônica aumentou 20% em junho e atingiu o nível mais alto em 13 anos para julho

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.