ABI - Liberdade de imprensa
LIBERDADE

Justiça manda soltar prefeito de São Mateus suspeito de liderar esquema de fraudes em licitações

Daniel da Açaí, no entanto, seguirá afastado de prefeitura do município. Ele foi preso no dia 28 de setembro, durante a Operação Minucius, da Polícia Federal

08/10/2021 00h39
Por: Vanderlei Filho
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Justiça Federal revogou, nesta quinta-feira (07), a prisão temporária do prefeito de São Mateus, Daniel Santana Barbosa, o Daniel da Açaí. Ele está preso desde o dia 28 de setembro, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Minucius, que apura um suposto esquema de fraudes em licitações, superfaturamento de contratos e lavagem de dinheiro no município da Região Norte do estado.

Dessa forma, Daniel da Açaí poderá deixar a qualquer momento o Quartel do Corpo de Bombeiros, em Vitória, onde está preso. O prefeito, no entanto, continuará afastado do cargo.

Daniel da Açaí havia sido preso temporariamente, pelo prazo de cinco dias. No entanto, na última sexta-feira (01/10), a Justiça Federal prorrogou a prisão por mais cinco dias, a vencer justamente nesta quinta-feira, às 23h59.

Além do prefeito de São Mateus, o desembargador Marcello Ferreira de Souza Granado, relator do caso no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), determinou a soltura dos outros cinco investigados no processo que também continuavam presos.

Entre eles está a chefe de gabinete de Daniel, Luana Zordan Palombo, três empresários — Caio Faria Donatelli, Yosho Santos, Gustavo Nunes Massete e João de Castro Moreira, o "João da Antártica", amigo do prefeito e suspeito de também integrar o esquema.

A todos eles, a Justiça determinou, além do afastamento de suas funções, a suspensão e entrega de passaportes, suspensão temporária da possibilidade de fazer contrato com o poder público e a proibição de frequentar os prédios públicos da Prefeitura de São Mateus.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.