ABI - Liberdade de imprensa
ACUSAÇÕES

Suspeitas contra deputado envolvem rachadinha, fantasmas, fraude e corrupção

Segundo as investigações, até o momento o valor destinado irregularmente, via emendas, somam R$ 1.034.354,00.

14/01/2022 11h38Atualizado há 3 dias
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado – DRACO2 -, pertencente ao Departamento de Estratégia e Inteligência-DEI, deflagrou , na manhã desta sexta-feira (14/01),  operação visando angariar mais elementos que corroboram com todos os elementos já constantes da investigação visando o combate a crimes de corrupção, fraude a licitações praticados por organização criminosas,  dentre outros.

A ação policial denominada “O Chamado” movimentou cerca de 150 policiais que cumpriram 32 mandados de buscas nos municípios de Ji-Paraná e Porto Velho-RO. Os alvos foram o gabinete de um parlamentar da Assembleia Legistiva Estadual (deputado Cabo Jhony Paixão, do PRB), empresas privadas, escolas públicas e residências de pessoas ligadas a Orcrim - Organização Vriminosa. 

As medidas cautelares visam coletar elementos de informação para a investigação de organização criminosa ligada ao deputado estadual Cabo Jhony Paixão, dedicada ao uso de emendas parlamentares em contratações fraudulentas de obras e reformas de escolas estaduais.

As investigações apuraram até o momento de que o valor destinado irregularmente, via emendas, somam R$ 1.034.354,00 (um milhão, trinta quatro mil, trezentos e cinquenta e quatro reais). Estima-se que o montante pode ser maior, considerando a fase de investigação interna de outros recursos e fontes.

Investiga também a  atuação da ORCRIM em fraudes de contratos de locação de veículos, na prática popularmente conhecida por “rachadinha”, na qual servidores transferem uma parte ou a quase a totalidade dos seus salários aos líderes do esquema criminoso, além da nomeação de servidores “fantasmas”.

A deflagração contou com o apoio de diversas unidades da Polícia Civil, da capital e do interior do Estado. “A Polícia Civil combaterá veementemente a corrupção. Nós não podemos tolerar que este câncer permaneça em Rondônia!” Afirmou o delegado Geral, Samir Fouad Abboud.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.