Quinta, 19 de Maio de 2022
17°

Poucas nuvens

Teixeira de Freitas - BA

Política e Poder CORRUPÇÃO

Vereador e ex-secretário são presos suspeitos de fraude na gestão de aterro sanitário

A reportagem procurou a Prefeitura de Contagem e a Sobrado e aguarda posicionamento.

06/05/2022 às 15h02
Por: Fernanda Souza
Compartilhe:
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

Três pessoas foram presas durante a  operação Purgamentu, deflagrada em conjunto pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Polícia Civil, nesta sexta-feira (06/05). Entre eles, estão  dois ex-secretários de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte -  sendo que um deles é vereador na cidade - e um empresário. Os nomes não foram divulgados até o fim desta manhã. 

A 24ª Promotoria de Justiça de Contagem, na Grande BH, cumpre seis mandados de prisão e nove de busca e apreensão contra uma associação criminosa que operava empresas que administravam o aterro sanitário. 

A investigação aponta ligação de políticos influentes das cidades de Brumadinho e Contagem. Três ex secretários, um subsecretário, um diretor, dois empresários e um vereador, todos de Contagem, estão entre os alvo da operação.  

Segundo o Ministério Público, as investigações começaram em 2019 e comprovaram a existência de esquema de fraude à licitação para contratação pela Prefeitura de Contagem da empresa Sobrado Sociedade Mineira de Obras LTDA, no ano de 2017, para prestar os serviços de administração, operacionalização, manutenção e ampliação do aterro sanitário de Contagem. “A contratação da empresa foi feita sem licitação, com fortes indícios de favorecimento e superfaturamento”, diz nota. 

Ainda conforme o MP, a Sobrado foi contratada logo após o cancelamento da licitação que estava em curso para contratação de empresa para prestação de serviços junto ao aterro sanitário. Na época, o cancelamento da licitação provocou revolta de algumas empresas que participavam do certame e representaram ao MPMG acerca do possível fraude para eliminar a concorrência e beneficiar a empresa investigada. As investigações apuraram que quando foi contratada a Sobrado encontrava-se inativa desde 2003. 

O valor da contração superou os R$ 15 milhões, com suspeita de superfaturamento que quase dobra o prejuízo aos cofres públicos. 

A operação contou com apoio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Minas Gerais (CAOPP) e da Polícia Civil.  

Provas  

O objetivo da operação é principalmente buscar provas de aproveitamento financeiro das fraudes e de patrimônio oculto. O MPMG ainda apurar diversas outras dispensas de licitação suspeitas que ocorreram na Prefeitura Municipal de Contagem entre os anos 2017 e 2020. 

Dezenove policiais civis, quatro delegados e um promotor de Justiça participam da operação. 

A reportagem procurou a Prefeitura de Contagem e a Sobrado e aguarda posicionamento.  

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Teixeira de Freitas - BA Atualizado às 21h44 - Fonte: ClimaTempo
17°
Poucas nuvens

Mín. 15° Máx. 27°

Sex 28°C 13°C
Sáb 28°C 16°C
Dom 27°C 17°C
Seg 26°C 17°C
Ter 28°C 18°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes