WhatsApp

73 99859-0076

ABI - Liberdade de imprensa
Mal entendido

Jornalistas são detidos ao tentar localizar testemunha de morte de miliciano

A detenção ocorreu quando os jornalistas tentavam entrevistar o fazendeiro

14/02/2020 17h23
Por: Vanderlei Filho
Viatura da PM baiana. Jornalistas dizem que foram detidos durante investigação da morte de miliciano
Viatura da PM baiana. Jornalistas dizem que foram detidos durante investigação da morte de miliciano

Mesmo identificados como profissionais de imprensa, os repórteres Hugo Marques e Cristiano Mariz, da revista Veja, foram detidos pela Polícia Militar da Bahia na manhã desta sexta feira (14/02/).

A detenção ocorreu quando os jornalistas tentavam entrevistar o fazendeiro Leandro Abreu Guimarães, suspeito por envolvimento com o miliciano Adriano Magalhães de Nóbrega, morto no último domingo (09/02)conforme informou Veja, os jornalistas tentavam entrevistar o fazendeiro quando foram cercados por duas viaturas da PM. Os profissionais estavam dentro de 1 carro no momento da abordagem, identificaram-se e exibiram suas credenciais de imprensa.

Os policiais revistaram o carro e apreenderam o gravador dos jornalistas, segundo reportou a Veja. Nele, havia diversas entrevistas feitas ao longo da semana sobre a controversa operação que resultou na morte de Adriano da Nóbrega.

Os jornalistas receberam a ordem de seguir as viaturas até o distrito policial de Pojuca. Lá, agentes da Polícia Civil voltaram a questioná-los sobre o motivo da presença deles na cidade.

Segundo a revista, depois disso, os policiais, de armas em punho, determinaram que os 2 saíssem do carro, levantassem as mãos e abrissem as pernas para serem revistados. “Como é que vocês descobriram esse endereço?”, teria indagado várias vezes um dos soldados.

 SSP-BA (Secretaria de Segurança Pública da Bahia) afirmou que a denúncia contra uma suposta atitude suspeita dos jornalistas foi feita pelos próprios moradores de Pojuca, no litoral norte da Bahia.

O órgão informou, ainda, que os profissionais de imprensa foram conduzidos até a Delegacia Territorial e foram liberados. Segundo a secretaria, nenhum equipamento dos jornalistas foi danificado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.