WhatsApp

73 99859-0076

ABI - Liberdade de imprensa
Sexo e Quarentena

Fazer sexo pode ser benéfico durante isolamento social

Estudo aponta que o sexo pode contribuir para a elevação das taxas de imunidade e especialista ressalta a importância da prática para aliviar o estresse durante a quarentena. Cuidados devem ser tomados

08/04/2020 12h03
Por: Valeria Alves
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução
Um estudo realizado pela Wilkes University, dos Estados Unidos, aponta que a vida sexual ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA, a Imunoglobulina A, responsável pela proteção do organismo em quadros de infecção, gripes e resfriados. No entanto, apesar de elevar o grau de imunidade do corpo, não há comprovações científicas de eficácia do sexo no tratamento do novo coronavírus. 
 
A atividade sexual pode, segundo a terapeuta tântrica Beatriz Rios, aliviar o estresse e a ansiedade advindas deste período de isolamento social. “Endorfina e serotonina liberados durante o ato ajudam a aliviar a tensão e a reduzir os níveis de estresse. Além disso, esses hormônios estão diretamente relacionados à sensação de prazer e felicidade, ajudando, assim, a amenizar a tensão. Certas dores físicas também podem ser atenuadas.” 
Em meio à pandemia de COVID-19, o sexo não precisa ser evitado, conforme explica Beatriz, mas merece atenção, visto que a doença é transmitida pelo contato humano. “Não há estudos que evidenciam o contágio do novo coronavírus por meio do sexo. No entanto, pouco se sabe sobre a doença. E, por isso, é recomendada a prática sexual somente para parceiros fixos e que morem juntos.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.