WhatsApp

73 99859-0076

ABI - Liberdade de imprensa
CORONAVÍRUS

Mortes no Brasil sobem para 77.017 e novos casos aumentam para 2.016.317 confirmados

O Brasil levou 4 meses para chegar a 1 milhão de infectados, e bastaram 27 dias para o número dobrar (país passou a marca de 1 milhão de infectados em 19 de junho).

16/07/2020 21h13Atualizado há 3 semanas
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

O  portal de noticias  Zero Hora News recebeu com exclusividade na noite dessa quinta-feira (16/07) o mais recente balanço atualizado dos casos de coronavírus no Brasil. Os principais dados são: 77.017 mortes e 2.016.317 casos confirmados e uma taxa de letalidade de 5.8%.

O Brasil é o 2º país do mundo com mais casos e mortes por coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos, segundo um levantamento da Universidade Johns Hopkins o avanço da doença está acelerado de forma avassaladora: foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos de( 26 de fevereiro a 21 de março).

Outros 2.500 casos foram confirmados em apenas seis dias (de 21 a 27 de fevereiro ) e quase 6.000 casos de 27 de março a 06 de abril, quando a contagem bateu os 11.000 infectados.  Hoje 99 dias depois esse número chega a 2.016.317.

O Brasil  continua sendo o segundo país com o maior número de mortes pela doença no mundo, de acordo com o painel da Universidade Johns Hopkins, baseado em dados oficiais das nações. 

Os gráficos apresentados pelo Ministério da Saúde com referências às duas semanas anteriores à atual- mostram que nenhuma região brasileira ainda apresenta indícios de estabilização, tanto na quantidade de novos casos como de óbitos.

Com atualizações diárias na casa dos milhares, o Brasil é, hoje, o epicentro do novo coronavírus na América Latina e, sem conseguir frear a disseminação que explode invisivelmente pelo interior, caminha para ser líder mundial do triste ranking da pandemia. 

 

Desde que a primeira morte foi registrada, em 17 de março, o Brasil levou dois meses para somar 15.662 mortes, em 16 de maio. Depois disso, o salto que faz dobrar o número de vítimas ocorreu em apenas 17 dias.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.