ABI - Liberdade de imprensa
LICITAÇÃO

MPF abre inquérito após Jânio Natal comprar 60 mil litros de gasolina sem licitação

De acordo com o procurador da República Fernando Zelada, Natal realizou a compra após decretar estado de calamidade pública

05/04/2021 06h38Atualizado há 2 semanas
Por: Valeria Alves
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

O prefeito de Porto Seguro, Jânio Natal, está na mira do Ministério Público Federal (MPF) após comprar 60 mil litros de gasolina para a gestão, sem licitação.

De acordo com o procurador da República Fernando Zelada, Natal realizou a compra após decretar estado de calamidade pública, em decorrência da crise sanitária causada pelo coronavírus.

A empresa contratada foi a SulBahia Comubustíveis LTDA, que tem Ulaeses Nascimento Alves como sócio administrador, segundo a Junta Comercial da Bahia.

Além da gasolina, a prefeitura comprou 10 mil litros de etanol, 30 mil litros de diesel comum, 30 mil litros de diesel S10, 1.500 litrros de óleo hidraulico, 500 litros de óleo Arla 20 litros e mil litros de óleo 15w40. Tudo isso custou R$ 663 mil aos cofres da cidade.

De acordo com a prefeitura, os combustíveis atenderiam as secretarias de Administração, Serviços Públicos e Obras, Assistência Social, Educação e Saúde.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.