ABI - Liberdade de imprensa
DECISÃO

Justiça determinou que governo federal pare de fazer campanhas do Kit Covid

No entanto, à Justiça, a União disse que jamais patrocinou qualquer campanha publicitária que incentivasse o “tratamento precoce”.

30/04/2021 17h23
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Justiça Federal de São Paulo determinou na quinta-feira (29/04) que o governo federal pare de fazer campanhas com o “kit Covid”, com referências a medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19, e que influenciadores digitais contratados pela gestão federal publiquem mensagens para desencorajar o uso dos medicamentos.

A decisão foi da juíza Ana Lúcia Petri Betto, da 6ª Vara Cível Federal de São Paulo, da quinta-feira, mas que só foi divulgada nesta sexta-feira (30/04).

A determinação atende a uma ação civil pública protocolada por Luna Zarattini Brandão, que foi candidata a vereadora na capital paulista pelo Partido dos Trabalhadores (PT), contra o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten, e contra a agência Calia/Y2 Propaganda e Marketing e os influenciadores Flavia Viana, João Zoli, Jessica Tayara e Pam Puertas, que segundo os documentos anexados ao processo, indicam que eles foram contratados pelo governo federal ao custo total de R$ 23 mil.

No entanto, à Justiça, a União disse que jamais patrocinou qualquer campanha publicitária que incentivasse o “tratamento precoce”. Para a 6ª Vara Cível Federal de São Paulo, contudo, o argumento não se sustenta.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.