ABI - Liberdade de imprensa
INVESTIGAÇÃO

Servidores da Vigilância pedem que MPE investigue prefeito por chamá-los de vagabundos e bandidos

Eles acusam o prefeito de obstruir e dificultar as fiscalizações relacionadas à pandemia

03/05/2021 09h47Atualizado há 2 semanas
Por: Vanderlei Filho
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

Quatro servidores da Vigilância Sanitária de Sapezal, cidade distante 477 km de Cuiabá, solicitaram que a Câmara de Vereadores e o Ministério Público Estadual (MPE) abram uma investigação contra o prefeito do Município, Valcir Casagrande (PL). O gestor é acusado de tentar obstruir e dificultar fiscalizações relacionada à prevenção da Covid-19. 

Nos documentos, os servidores relataram que as tentativas de obstrução denunciadas aconteceram no dia (17/04), por volta de 16h49, durante uma ligação entre o prefeito e um empresário.

O áudio da ligação foi entregue junto com a denúncia. Nele, Valcir afirma que os servidores da Vigilância Sanitária são "bandidos", "vagabundos" e "cheios de fake news". 

Na denúncia, os servidores afirmam que o prefeito cometeu crime de responsabilidade, assédio moral, conduta lesiva ao enfrentamento de emergência de saúde pública, advocacia administrativa e diversas outras infrações administrativas.

Os atos pelos quais o prefeito foi acusado podem acarretar em cassação do mandato caso a Câmara decida instalar uma investigação.

Os servidores ressaltaram que a abertura de uma investigação contra Valcir é de "imensa relevância". E que, ao final da apuração, o MPE proponha uma ação penal e administrativa contra o prefeito. 

“Desse modo, é indiscutível que com a sua conduta, o suspeito praticou os crimes em questão e a instauração de investigação é de imensa relevância, e não se espera desta instituição que trabalha pela ordem jurídica e dos interesses da sociedade e pela fiel observância das leis e da constituição outra atitude, senão a instauração da investigação, pois, cometer injustiça é pior do que sofrê-la”, diz trecho do pedido de investigação. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.