ABI - Liberdade de imprensa
LIBERDADE EXPRESSÃO

Portal Zero Hora News participará do seminário internacional que comemora Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

A iniciativa tem o apoio da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Nacional de Jornais (ANJ), entre outros.

04/05/2021 09h03Atualizado há 2 semanas
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), a Abraji e outras sete organizações envolvidas na defesa da liberdade de imprensa organizam nos dias (03/05) e (04/05) um seminário internacional para comemorar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. O evento terá dois painéis, um por dia, das 16h às 17h30. 

O portal de noticias Zero Hora News através do seu editor chefe Vanderlei Filho  participará virtualmente dos dois painéis que será apresentado pela ABRAJI e UNESCO objetivando buscar novos conhecimento com os diversos colegas que estarão palestrando e trazendo novas informações como bem público e tratará também da "Polarização e Liberdade de Imprensa.  Para Vanderlei "as ameaças a liberdade de imprensa tem adquirido novas e preocupantes formas ultimamente, que vão desde a censura privada à intimidação sutil sobre o trabalho jornalístico" disse.

terá como convidados o ministro do STF e presidente do TSE, Luís Roberto Barroso; a ombudsman da Folha de S.Paulo, Flavia Lima; a diretora da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto; o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert), Flávio Lara Resende; e a presidente executiva do Instituto Palavra Aberta, Patricia Blanco. A moderação será do presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Marcelo Rech.

Ao destacar o papel essencial do jornalismo livre e independente na produção de notícias, o tema escolhido pela UNESCO chama a atenção sobre a importância da informação verificada de interesse público e alerta sobre a necessidade de se garantir a segurança dos jornalistas. 

O segundo painel, na terça-feira (04/05), tratará de "Polarização e Liberdade de Imprensa". Participam Amanda Ripley, repórter investigativa do New York Times; Guilherme Canela, chefe da área de liberdade de expressão e segurança de jornalistas do setor de comunicação e informação da UNESCO; e Aline Midlej, âncora da GloboNews. A moderação será do colunista da revista Época e vice-presidente da Abraji, Guilherme Amado.

Em 2021, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa coincide com o 30º aniversário da Declaração de Windhoek para o Desenvolvimento de uma Imprensa Livre, Independente e Pluralística, documento que afirma o compromisso da comunidade internacional com a liberdade de imprensa. 

Os dois webinars vão contar com tradução simultânea e transmissão pelos canais da UNESCO no Brasil e entidades parceiras.

A iniciativa tem o apoio da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Nacional de Jornais (ANJ), Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner), Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca), Instituto Palavra Aberta, Folha de S. Paulo, Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil.

Programação

(03/05): INFORMAÇÃO COMO BEM PÚBLICO - 16h às 17h30 (Horário de Brasília).

Abertura: Patricia Blanco (Instituto Palavra Aberta) | Participantes: Luís Roberto Barroso (TSE), Flavia Lima (Folha de S. Paulo), Flávio Lara Resende (Abert), Marlova Noleto (UNESCO) | Moderador: Marcelo Rech (ANJ).

(04/05): POLARIZAÇÃO E LIBERDADE DE IMPRENSA - 16h às 17h30 (Horário de Brasília) | português e inglês - com tradução simultânea.

Abertura: Representante da Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil (a confirmar) | Participantes: Amanda Ripley (New York Times), Guilherme Canela (UNESCO), Aline Midlej (GloboNews) | Moderador: Guilherme Amado (Abraji)

Palestrantes

Aline Midlej - Âncora do Edição das 10h, telejornal da Globo News, a jornalista tem 16 anos de profissão e passou pelas principais redações de televisão do país como repórter e apresentadora. Cobriu o terremoto do Haiti e a guerra civil no Congo. No Brasil, fez reportagens na Amazônia com a população indígena e uma série sobre avanços nas conquistas femininas, que renderam premiações como o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos e o Esso.

Amanda Ripley - Repórter investigativa do New York Times, seu primeiro livro "The Unthinkable: Who Survives When Disaster Strikes-and Why", foi publicado em 15 países e transformado em documentário pela PBS. Tem trabalhos publicados na Atlantic Magazine, na Time, no Washington Post, no Wall Street Journal, no Slate, no Politico, no Guardian e no Times of London. Suas histórias ajudaram a Time a ganhar dois prêmios da National Magazine.

Flavia Lima - Ombudsman da Folha de S.Paulo desde maio de 2019 e repórter especializada em economia, chegou ao jornal em 2017, onde atuou no caderno Mercado. Formada em direito pelo Mackenzie e ciências sociais pela USP, começou no jornalismo como trainee da extinta Gazeta Mercantil, somou duas passagens pelo Valor Econômico, TV Bloomberg e revista Dinheiro. Atualmente coordena o primeiro programa de treinamento do jornal destinado apenas a profissionais negros.

Flávio Lara Resende - Advogado e jornalista, tem pós-graduação em administração financeira e MBA em finanças. Diretor geral do Grupo Bandeirantes de Comunicação, exerce os cargos de diretor geral da TV Bandeirantes, da Rádio Bandnews e do jornal METRO. É presidente da Associação dos Veículos de Comunicação do Distrito Federal - AVEC/DF desde 2010, de onde está se licenciando para assumir a presidência da Abert. 

Guilherme Amado - Vice-presidente da Abraji, é colunista da revista Época e da Rádio CBN. Cobre política e crime organizado em diferentes vertentes desde 2009. Em 2014, recebeu os prêmios Esso e Tim Lopes com a reportagem Os embaixadores do Narcosul. É John S. Knight Journalism Fellow na Universidade de Stanford, onde estudou colaboração entre jornalistas investigativos, e integra o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ).

Guilherme Canela - Formado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília e mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo, assumiu como chefe da área de liberdade de expressão e segurança de jornalistas do setor de comunicação e informação da UNESCO, em Paris, depois de coordenar diversos trabalhos de destaque na América Latina e no Caribe. 

Luís Roberto Barroso - Jurista, professor e magistrado, é ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Marcelo Rech - Jornalista, é presidente da Associação Nacional de Jornais, colunista, comentarista e consultor. Foi vice-presidente editorial e institucional do Grupo RBS. Como repórter, atuou em reportagens investigativas e em coberturas de guerra, como as guerras no Golfo e nos Bálcãs e conflitos na África e América Latina. Por cerca de 15 anos foi diretor de redação dos jornais da RBS e posteriormente diretor de jornalismo do Grupo RBS.

Marlova Noleto - Diretora e representante da UNESCO no Brasil, é mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Foi bolsista da Fundação Kellogg e também da Eisenhower Exchange, tendo participado de um programa acadêmico e de intercâmbio profissional para aprofundar seus conhecimentos sobre combate à pobreza, políticas sociais, educacionais, responsabilidade social e filantropia nos Estados Unidos. 

Patricia Blanco - Presidente executiva do Instituto Palavra Aberta, é formada em relações públicas pela Cásper Líbero, com pós-graduação em marketing pela ESPM. Foi diretora executiva do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial. É membro do Conselho de Ética do Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar) e da Comissão Permanente de Comunicação e Liberdade de Expressão do Conselho Nacional de Direitos Humanos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.