ABI - Liberdade de imprensa
MUDANÇAS

Câmara conclui votação de MP que facilita crédito bancário na pandemia

As medidas serão incluídas na Lei de Diretrizes e Bases e custeadas com recursos a serem previstos no orçamento

02/06/2021 17h49Atualizado há 3 semanas
Por: Fernanda Souza
Foto/Reprodução
Foto/Reprodução

A Câmara dos Deputados concluiu a votação da Medida Provisória 1028/21, que dispensa os bancos de exigirem documentos de regularidade fiscal na hora de o cliente contratar ou renegociar empréstimos. A matéria será enviada ao Senado na forma do substitutivo do deputado Ricardo Silva (PSB-SP).

Uma das mudanças feitas pelo relator estendeu o prazo final da regra de (30/06) para (31/12) deste ano.

O Plenário rejeitou todos os destaques que tentavam alterar o texto do relator:

- emenda do deputado Bohn Gass (PT-RS) pretendia tornar temporária, até 31 de dezembro de 2021, a dispensa de apresentação da Certidão Negativa de Débito (CND) pelas empresas que contratarem crédito oriundo de recursos captados através de caderneta de poupança;

- emenda do deputado Fábio Henrique (PDT-SE) pretendia impedir o uso dos recursos emprestados com a dispensa de documentação para distribuição de dividendos ou lucros entre os sócios;

- destaque do PCdoB pretendia manter na legislação a necessidade de apresentação da CND para contratar empréstimos com recursos captados por meio da poupança;

- emenda do deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) previa o ressarcimento, pela União, de empréstimos feitos pelas regras da MP por população rural de baixa renda se os recursos fossem utilizados para a construção de fossas sépticas;

- emenda do senador Paulo Paim (PT-RS) que também pretendia impedir o uso de recursos emprestados para distribuir dividendos ou lucros aos sócios.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.